Público-Alvo

5 coisas que todo mundo pensa errado sobre público-alvo

Público-alvo se trata de um grupo específico de consumidores e organizações que, por apresentar perfis semelhantes, são o foco das ações de marketing e de vendas de uma empresa, já que estes estão mais dispostos a adquirir os produtos ou serviços oferecidos pela empresa

Por que definir um público-alvo?

Logo, a definição de um público-alvo se mostra como algo essencial para as ações de Marketing.

Uma vez que se define um tipo de público, com essas características e ideias semelhantes, torna-se mais fácil a elaboração de uma ação mais assertiva e convincente ao público.

Direcionar os esforços da equipe de marketing e vendas da empresa tornam esses esforços mais eficientes, de modo a garantir uma aproximação mais personalizada com o seu público.

Apesar de ser um conceito simples, ainda surgem diversas dúvidas e questões relacionadas ao conceito e todo o entorno do público-alvo.

A seguir vamos tratar das 5 coisas que todo mundo pensa errado sobre o público-alvo.

1 – Seu público-alvo não é todo mundo

Por mais que as algumas empresas afirmem que seu público-alvo seja todo mundo, não é todo mundo que necessita do seu produto ou serviço.

Por exemplo, jovens que não tem carteira de habilitação não precisam de carros, logo, uma ação de marketing a fim de vender carros não surtirão o efeito desejado nesse grupo.

Logo, podemos notar que ações que tenham um estudo prévio de seu público e de seu perfil de consumo irão surtir muito mais efeito do que outras bem mais abrangentes, com muito menos recurso a ser gasto para tal.

2 – O público-alvo é escolhido pelos donos da empresa

Sabemos que o público-alvo é importante para a equipe de marketing, mas algo que muitas pessoas pensam errado é que ele é definido arbitrariamente pelos líderes da empresa.

No entanto, para a sua definição são feitas diversas pesquisas e estudos do público e de seus costumes. Para que, então, se definam as características desse público-alvo.

Dentre as características que são importantes constam dados básicos que se coletam de um cliente.

Esses dados são:

  • Gênero
  • Faixa etária
  • Escolaridade
  • Faixa de renda
  • Classe social
  • Localização
  • Hábitos de consumo

A coleta de todas as informações deve ser analisada criteriosamente para que se obtenha os melhores resultados possíveis.

Deste modo, podemos então montar um público-alvo. Pois, ele tem características relacionadas a esses fatores.

Então, essa escolha não é feita arbitrariamente, mas sim a partir destes estudos feitos previamente. 

3 – Não preciso definir um público alvo

Optar por ignorar a definição de um público-alvo pode resultar no emprego de estratégias pouco eficientes. Por exemplo, enviar uma propaganda de carros para um grupo que não possui carteira de motorista.

Estas propagandas genéricas, que tentam alcançar o maior número de pessoas, na maioria das vezes acaba sendo um desperdício de verba.

Pois, será uma grande quantidade de material, esforço e dinheiro empenhado que terão, por muitas vezes, pouquíssimo retorno, se comparado a ações focadas num perfil específico.

4 – Só se define uma vez e vai se manter

Para que tenhamos um grande retorno das nossas ações de marketing, um ponto importante para isso é a atualização do público-alvo.

Pois, após as ações da empresa, sejam elas promoções, eventos, etc. os dados dos consumidores devem ser coletados e analisados, para que sejam atualizados os dados do público-alvo, se necessário.

Essa mudança permite que novas estratégias sejam feitas e a empresa consiga estar sempre atualizada no mercado.

5 – Público-alvo e Persona são a mesma coisa

Público-alvo e personas: entenda a diferença e como aplicar

Primeiramente vamos definir os conceitos de público-alvo e de persona. Já que eles apresentam semelhanças que provocam essa confusão.

Ao tratarmos de público-alvo, falamos de um conceito que abrange um determinado grupo de pessoas a serem alcançadas pela estratégia de um negócio, para levar o seu produto, ou serviço, até seu público. E este grupo de pessoas pode ser segmentado por diversos âmbitos:

  • Demográfico: Sexo, idade, número de pessoas na família, etc.
  • Socioeconômico: Renda, escolaridade, classe social, etc.
  • Comportamental: hábitos de compra, utilização do que se compra
  • Psicográfico: Valores, desejos, ambições, opiniões, etc.

Já o conceito de persona é representativo, semi-fictício, a qual representa o cliente ideal de um produto ou serviço da empresa.

Ela tem como função ajudar a conhecer a fundo quem é e o que o cliente precisa, de acordo com suas ações comportamentais.

Assim, definir uma persona é criar uma personagem fictícia que representará o consumidor. Definindo um nome, uma idade, hobbies, opiniões e objetivos. Um exemplo seria a persona:

  • Marcia
  • 35 anos
  • Gosta de viajar e ir para bares
  • Se considera jovem
  • Está em busca de um relacionamento
  • Quer renovar a casa.

Assim como pudemos ver anteriormente, os estudos e pesquisas necessários para a definição de um público-alvo tornam as ações de marketing muito mais eficientes e eficazes, dado o seu foco no tipo de público a ser atingido.

Vimos aqui 5 coisas que todo mundo pensa errado sobre público-alvo.

Vamos usar estas informações para tornar nosso negócio ainda mais eficiente na propaganda!

Ficou alguma dúvida? Tire dúvidas conosco clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *